GavetaGrid – O Grande Prêmio da Turquia

Como vão as traças mais velozes que eu conheço? Olha a equipe do Gaveteiro.com aqui para o nosso encontro semanal, justamente nesse dia das mães, tudo para trazer as impressões do GP da Turquia, realizado neste domingo, dia 08/05/2011, às 09h00min (no horário de Brasília). Esta fora a corrida mais fantástica das já disputadas no campeonato deste ano, trazendo com ela algumas conclusões importantes e que não ficarão reclusas ao circuito de Istambul Park, ou seja, por mais emocionantes que as provas sejam daqui pra frente, nos parece que o campeonato já está decidido, pelo menos o título mundial de pilotos (parabéns antecipados ao jovem Sebastian Vettel).

Largando na primeira posição, o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, ficou “de cara para o vento” durante toda a prova, não sendo, sequer, incomodado por qualquer dos pilotos que se alternaram na segunda colocação. Se não acontecer nada extremamente surpreendente, Vettel se sagrará bicampeão mundial este ano, dada a incontestável superioridade de sua condução, carro e equipe (impossível perder assim, né?!). De fato, o jovem alemão vem se consolidando como um excepcional piloto, muito diferenciado do apagado companheiro de equipe, o australiano Mark Webber (o segundo colocado em Istambul Park), que já nem tenta andar no ritmo do ponteiro (talvez dada a proximidade de sua possível aposentadoria “compulsória”, imposta pela própria equipe). Vettel já esboça ingressar no seleto grupo encabeçado por Senna, Prost e Schumacher, só levando-se em consideração os seus números de vitórias e poles.

Entretanto, a surpresa do fim de semana fora Alonso. O espanhol conseguiu largar na quinta posição, tirando “leite de pedra” de sua Ferrari, carro evidentemente limitado em classificações. Melhor ainda, chegou em terceiro lugar nesta etapa da Turquia, confirmando a sua superioridade técnica (infelizmente, diga-se) sobre o brasileiro Felipe Massa, que nem pontuou, chegando na 11ª posição com sua Ferrari. É triste para os brasileiros admitirem, mas estamos mal servidos na F-1 (ufa! Confessei). Claro que Massa foca todo o azar do mundo nele próprio, mas uma das características dos campeões que mais conheço é a sorte, e isso, Felipe nunca teve. É duro, mas Massa vem se consolidando como um piloto abaixo do nível visto em Hamilton, Alonso e Vettel.

Dentro da McLaren a formula novamente se aplica com ambos os pilotos ingleses, mas com uma diferença menor do desempenho entre eles. É clara a superioridade de Hamilton sobre Button (vista, inclusive, na pontuação do campeonato de pilotos), mas não tão evidente quanto a sentida dentro de Red Bull, Ferrari e Mercedes. Mesmo sendo um condutor concentrado, disciplinado e tendente à conservação de seu equipamento, Button perde espaço para o arrojo desenfreado de Hamilton, às vezes inconseqüente, quem vem se tornando o protagonista do show na disputa pelas primeiras posições. No entanto, a atuação das McLaren não repetiu a excelente performance das etapas anteriores, terminando com Hamilton em 4º e Button em 6º.

A Renault Lotus comemorou os 7º e 8º lugares com Petrov e Heidfeld respectivamente, após ambos terem se tocado na pista, trocado acusações após a prova e experimentado um alto consumo de combustível em seus carros quando das voltas finais disputadas. Sublinhe-se que, para passar o alemão, o russo espalhou o carro do companheiro em uma chicane, tudo após uma leve colisão lateral “roda a roda”, foi bonito de se ver. Petrov “forçou a barra” frente ao adversário, sem diferir seu companheiro de equipe de um outro piloto qualquer. Sinceramente, ponto para o russo, pois é isso mesmo que se espera de um piloto de corridas (até porque os grandes campeões da recente F-1 nunca se deram muito bem com seus respectivos companheiros de equipe, sempre tendo histórias de briga em pista, e fora dela, para contar). Mais uma vez, fico triste por Massa e Barrichello, sempre tão simpáticos e cordiais com todos.

Ah, o Barrichello! Já ia me esquecendo… Mas, na realidade, pra que lembrar, não é mesmo? O brasileiro levou sua fraca Williams até o final dessa vez, cruzando a linha de chegada na 15ª posição (imaginem se ele guiasse uma Toleman! Mais fraca ainda!). Mas, por incrível que pareça (e que venham as pedras!), vejo mais talento no Rubens do que em Felipe, dadas as condições a que ele era submetido nos tempos de Ferrari (frente aos resultados obtidos), ao revés de todas as possibilidades e oportunidades que esta mesma equipe deu (e continua dando) a Massa, de fato, estamos mal servidos de brasileiros na F-1.

Agora a cereja do sorvete nessa luta entre companheiros de equipe se experimenta na Mercedes. Na briga interna entre alemães, Schumacher não consegue ter desempenho nem parecido com o de Rosberg. Nico levou sua Mercedes novamente ao 5º lugar (repetindo a colocação do GP da China), tendo estado em 2º durante boa parte da prova. Já Michael dever ter sido ultrapassada por todo mundo do grid (só de Massa eu contei umas três vezes), finalizando a prova em 12º. Deveríamos era começar uma campanha para a aposentadoria de Schumi, quem sabe não sobra uma vaga para o Di Grassi.

 

Confira aqui a colocação final e geral do GP da China:

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 1h30min17s558 (58 voltas)

2º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), a 8,8s (58)

3º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 10s (58)

4º. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), a 40,2s (58)

5º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 47,5s (58)

6º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), a 59,4s (58 )

7º. Nick Heidfeld (ALE/Lotus Renault), a 60,8s (58)

8º. Vitaly Petrov (RUS/Lotus Renault), a 68,1s (58)

9º. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), a 69,3s (58)

10º. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), a 78s (58)

11º. Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 79,8s (58)

12º. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), a 85,4s (58)

13º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), a 1 volta (57)

14º. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari), a 1 volta (57)

15º. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), a 1 volta (57)

16º. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari), a 1 volta (57)

17º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth), a 1 volta (57)

18º. Jarno Trulli (ITA/Team Lotus-Renault), a 1 volta (57)

19º. Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus-Renault), a 2 voltas (56)

20º. Jérôme D’Ambrosio (BEL/Marussia Virgin-Cosworth), a 2 voltas (56)

21º. Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth), a 3 voltas (55)

22º. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth), a 5 voltas (53)

23º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), a 14 voltas (44)

24º. Timo Glock (ALE/Marussia Virgin-Cosworth), abandonou

 

Agora, a F-1 terá uma pausa de duas semanas até a próxima disputa, que será realizada na Espanha, em 22/05/2011. Um grande abraço e nos vemos semana que vem!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution