GavetaGrid – A dança das cadeiras

Vai chegando o meio do ano e é declarada aberta a temporada de (re)negociação entre pilotos e equipes. Sempre é assim, muito burburinho pra pouca mudança. A não ser que haja uma aposentadoria forçada de Michael Schumacher (da Mercedes) ou de Mark Webber (Red Bull), acredito que tudo fique como está nas quatro maiores equipes de 2011, mas será mesmo?

O único piloto cabalmente garantido em 2012 é Fernando Alonso, e na Ferrari. De tão foda, o cara já renovou com a equipe até 2016, quando pretende se aposentar (o espanhol é, somente, o terceiro esportista não americano que mais ganha din din do planeta!). Do outro lado da equipe, Massa tem que viver com a expectativa de chegar onde nunca estará, na briga por um campeonato tendo Fernando como companheiro. O brasileiro ainda não tem contrato confirmado para 2012, mas vem se mostrando um ótimo escudeiro de Alonso, uma pena, será segundo piloto daqui pra frente.

Já na Mercedes, não havendo a segunda aposentadoria de Schumi no final deste ano, dificilmente haverá troca de pilotos. Como a equipe alemã é boa em tudo mas não é ótima em nada, pouco se cogita mudança no time ou no direcionamento técnico. O que se vê é uma certa conformidade com os resultados obtidos nos dois últimos anos de F-1.

E agora? Se meche em time que está ganhando? Hoje, a Red Bull tem o melhor piloto e o melhor carro da categoria, e enquanto estiver na frente Vettel não seria idiota em sair de sua posição de conforto, é a parceria perfeita. Quanto ao veterano Webber, as coisas ficam nubladas dia a dia. Como faz tempo que o australiano não é mais menino, a chance de um afastamento compulsório do coroa é real, abrindo a segunda melhor vaga do grid de 2012 para especulação (a primeira é a de Sabastian, é claro). Para o segundo posto da RBR já se cogitou Jenson Button e Felipe Massa, mas quem quer estar lá de qualquer jeito é o instável Hamilton (já pensou ele e Vettel dividindo uma equipe?).

A incerteza dos palpites fica por conta da McLaren. Como dito, Hamilton já não anda de mãos dadas com a sua equipe faz tempo, e como ele não sabe perder, tudo tende a piorar esse ano. Com a eventual saída de Webber da Red Bull, talvez fosse essa a mudança mais lógica. Pois não é! Só em se imaginar Vettel e Hamilton na mesma equipe, boa coisa é que não sairia desse embrulho. Agora já o Button é outra história… Jenson é disciplinado, racional e prudente (em contraste com Vettel e Hamilton), ou seja, um perfeito contraponto ao jovem alemão.

Agora, como em um castelo de cartas, uma vacância no cockpit de Red Bull e/ou da Mercedes, altera com toda a estrutura das equipes até então e a minha aposta é em Jenson Button, um cara que vem se mostrando equilibrado e consistente, características cada vez mais raras nos pilotos de ponta, os holofotes estão sobre ele.

Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

1 Comentário para “GavetaGrid – A dança das cadeiras”

  1. Diego Ferreira disse:

    Será que o massa saindo da ferrari teria chance numa red bull ou mesmo na maclaren? pq sele quiser sair do estigma de escudeiro vai ter que sair da ferrari na proxima temporada

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution