GavetaGrid – O Grande Prêmio de Mônaco

Até que enfim os Deuses da F-1 atenderam as nossas preces! No prato do dia, traremos as ótimas impressões do GP de Mônaco (que costumava ser a corrida mais chata do ano), realizado neste domingo, dia 29/05/2011, às 09h00min (no horário de Brasília). Lá em Monte Carlo, o alemão Sebastian Vettel, pela quinta vez no campeonato de 2011, venceu a prova, como se isso ainda fosse alguma surpresa para nós aqui do Gaveteiro.com. Entretanto, o destaque fluorescente do dia foi mesmo o inglês Lewis Hamilton (da McLaren), mas vocês só saberão do porquê mais pra frente. Apertem os cintos (mas o piloto não sumiu, rsrs)!

Esse final de semana foi bem interessante em Monte Carlo. Já na quinta-feira de treinos livres, o alemão Nico Rosberg, da Mercedes-Benz, havia beijado o guardrail na saída do túnel, um dos pontos mais rápidos do circuito de Mônaco e, por muita sorte, não acertou a barreira de amortecimento (softwall) por milímetros, a qual protege um muro de concreto. Infelizmente, nos treinos classificatórios de sábado, saindo do túnel, de maneira idêntica a de Rosberg, o mexicano Sérgio Pérez (da Sauber) foi mais preciso e acertou em cheio a contenção errada por Nico, perdendo imediatamente a consciência e precisou ser atendido em pista e levado de ambulância para o hospital da cidade. As boas notícias são de que o mexicano passa bem, mesmo tendo uma concussão cerebral e torção em uma das pernas, razão pela qual não disputou o GP deste domingo.

Por incrível que possa parecer, Mônaco se mostrou divertida (já é a terceira vez que repetimos isso, não é?!). Na realidade não sabemos se por conta dos pneus, asas móveis e KERS ou por conta de Lewis Hamilton. Hoje o inglês estava o verdadeiro capeta encarnado na pista e deve ter trocado tinta de sua McLaren com meio grid. O cara se estranhou com Schumacher, Webber, Kobayashi e Petrov, além de ter tirado Felipe Massa (Ferrari) e Pastor Maldonado (Williams) da corrida. E como vaso ruim não quebra, o cara chegou com o carro todo troncho, mas ainda na zona de pontuação, em 6º lugar (se não vierem punições posteriores, já que o danado está sendo investigado).

O espanhol Fernando Alonso bem que tentou, mas chegou em 2º com a sua Ferrari, logo à frente do inglês Jenson Button da McLaren, o 3º. Com Vettel encabeçando a chegada, os três primeiros vieram coladinhos. O australiano Mark Webber (Red Bull) foi o 4º, seguido pelo japonês Kobayashi da Sauber. Adrian Sutil, alemão da Force India, também chegou bem, na 7ª posição, seguido pelo seu compatriota Heidfeld da Renault.

Rubens Barrichello é quem deve estar um pouco mais tranqüilo, vez que beliscou dois pontinhos hoje (os primeiros da Williams nesta temporada) com a sua 9ª colocação. O brasileiro poderia até ter chegado melhor se não houvesse parado para troca de pneus faltando 6 voltas para o final da disputa. Certamente a decisão do pitstop fora proveniente de uma errônea interpretação do regulamento da equipe Williams, trazendo aos box o piloto brazuca quando da entrada em pista do safety car por conta do acidente entre Hamilton (olha ele aí!) e o companheiro venezuelano de Williams, Maldonado.

Lasqueira foi que, após a entrada do carro de segurança, foi dada a bandeira vermelha, parando a prova a 6 voltas do final. Como Barrichello nunca foi uma pessoa muito sortuda, viu todos os carros que estavam na sua frente trocarem seus pneus, ou seja, o que foi vantagem por alguns segundos, virou um azar danado pelas últimas 5 voltas.

Resumo da ópera, Vettel jogando champagne em todo mundo (até na guarda real de Mônaco), Felipe Massa nos boxes vendo seu companheiro Fernando Alonso levar a Ferrari “no braço” à 2ª colocação e Jenson Button fechando o pódio (que, por sinal, não existe em Monte Carlo), com o companheiro Hamilton puto da vida pelo fim de semana complicado. Barrichello sorriu amarelo mais uma vez (um tom de amarelo mais claro do que o habitual).

Confira a colocação final do Grande Prêmio de Mônaco abaixo:

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 78 voltas

2º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 1s1

3º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), a 2s3

4º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), a 23s1

5º. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), a 26s9

6º. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), a 27s2

7º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), a 1 volta

8º. Nick Heidfeld (ALE/Lotus Renault), a 1 volta

9º. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), a 1 volta

10º. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), a 1 volta

11º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 2 voltas

12º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), a 2 voltas

13º. Jarno Trulli (ITA/Team Lotus-Renault), a 2 voltas

14º. Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus-Renault), a 2 voltas

15º. Jérome D’Ambrosio (BEL/Virgin-Cosworth), a 3 voltas

16º. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth), a 3 voltas

17º. Narain Karthikeyan (IND/Hispania-Cosworth), a 4 voltas

ABANDONOU. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth),

ABANDONOU. Vitaly Petrov (RUS/Lotus Renault),

ABANDONOU. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari),

ABANDONOU. Felipe Massa (BRA/Ferrari),

ABANDONOU. Michael Schumacher (ALE/Mercedes),

ABANDONOU. Timo Glock (ALE/Virgin-Cosworth),

NÃO LARGOU. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari).

É com saudades que nos despedimos de mais um GavetaGrid. Abração a todos e nos vemos semana que vem, se os Deuses da F-1 assim permitirem!

Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution