Tomo da Traça: O Símbolo Perdido, de Dan Brown

Para um livro de sucesso você precisa de:
– Um personagem principal que tenha um vasto conhecimento em alguma área.
– Um coadjuvante que auxlie e seja especialista em outra área.
– Um assassino inescrupuloso que sirva ao vilão.
– O vilão propriamente dito que fica escondido boa parte da trama.
– Um amigo que vai trair o personagem principal.
– Enigmas e charadas.
– Fatos Históricos.
– Dar pouco tempo para os personagens resolverem os problemas.
– E diversos cenários fantásticos.

Agora que você anotou tudo, seja bem vindo ao mundo de Dan Brown.

Depois de Robert Langdon ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e uma caçada em Paris, agora ele retorna mais uma vez para desvendar outro mistério.

O professor de Harvard é convidado com urgência por um amigo, Peter Solomon, um filantropo e assumido maçom, para dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Quando o professor chega ao local, descobre que caiu em uma armadilha, pois seu amigo está desaparecido e não há palestra alguma.
O assassino denominado Mal´akh, sequestrou Peter, acreditando que este guarda um segredo dos fundadores de Washington, que também eram maçons: escondido na cidade está um tesouro que é capaz de dar poderes sobrenaturais a quem o encontrar. Com seus ideais acima da razão, Mal´akh faz com que Langdon entre em uma corrida para desvendar o mistério do símbolo perdido, convencido de que ele é o único capaz de localizá-lo.
Mas o professor não estará sozinho. Ele terá a ajuda de um amigo maçom de Peter, de sua irmã Katherine, e a CIA estará seguindo os passos de cada um deles.

Neste livro somos apresentados aos principais pontos turísticos da capital americana: o Capitólio, o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian(CAMS), a Biblioteca do Congresso e a Catedral Nacional.

Agora, analisando a obra do autor como um todo, este livro deixa a desejar em alguns aspectos. O primeiro deles é o fato dos personagens secundários não representarem uma boa imagen durante a trama e o final não ser o que o leitor realmente espera ler. Tive a impressão que devido as reclamações da Igreja referente aos livros anteriores, Código Da Vinci e Anjos e Demônios, o autor quis dar importância maior a religião.

O livro não é de todo ruim, tem momentos memoráveis e a leitura é envolvente. Assim como nos livros já citados, em Fortaleza Digital e Ponto de Impacto, o autor também mostrou um grande trabalho de pesquisa fundamentando cada uma das teorias, fatos históricos e enigmas, assim como criou uma trama que prende o leitor e faz com que ele não consiga mensurar o final tão cedo. Cada uma das obras dele é ligada pela “receita de bolo” que escrevi logo no começo. Os livros são praticamentes iguais no esqueleto, o que muda são suas histórias e um elemento ou outro do enredo. Outro detalhe importante, e que, qualquer um pode reparar, é que logo no começo da narrativa, o autor já fala ou mostra o local onde os personagens vão se reunir no final para encontrar o tesouro ou desvendar o mistério.
Falem bem falem mal, mas Dan Brown é o autor mais conceituado no estilo de suspense e até mesmo, aventura dos dias atuais. Seus livros podem parecer semelhantes, mas são ricos em informação e cultura. Você vai aprendendo a cada capítulo e se surpreendendo muitas vezes com o que é apresentado.

Se eu aconselho a leitura? Sim é claro, leia e abram suas mentes, nada melhor do que quebrar alguns paradigmas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

3 Comentários para “Tomo da Traça: O Símbolo Perdido, de Dan Brown”

  1. Diego Ferreira disse:

    Curto o trabalho do Dan Brown, tirando o codigo da vinci(acho que se tivesse lido antes do anjos e demônios teria gostado mais) são legais de se ler, histórias atraentes e que tu não sossega ate terminar.

    Das aventuras do robert langdon, esse para mim foi o melhor de todos foi o que mais me supreendeu(tirando o final)e teve o melhor vilão.

    Agora se fizerem uma adpatação para o cinema o malakh tem que ser o Vin diesel(quando vi a descrição do personagem, pensei logo nele)

  2. Renato Drummond disse:

    Fiquei bastante decepcionado. O romance promete uma coisa, te enrola e ao final, uma ducha de água fria, uma grande besteira. Dan Brown rendeu-se à grana e acha que tem a fórmula para ficar rico: enrolar as pessoas. Já tinha sacado isso no livro “Anjos e Demônios”, em que o protagonista Robert Lagdon cai de um avião a mais de mil metros de altura e se salva com uma capa de chuva como para-quedas: dá vontade de jogar o Dan Brown e ver se ele também se safa. Não vou contar o que é o tal símbolo perdido, mas é pura enganação. Tanta luta e decifração de enigmas para encontrar uma coisa que está em todo lugar. Tenha dó!

  3. Daniela disse:

    De todos os livros, pra mim Inferno é o mais legal. E depois O símbolo perdido. Fico perplexa sobre quanto esse cara consegue ser genial. E inventar charadas absurdamente interessantes!!!
    O melhor autor de todos os tempos…. os melhores livros que já li

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution