Análise: Closer – Perto Demais

Ando numa onda meio dramática hein, terceiro filme nesse gênero seguido! Mas vamos lá, vale a pena. Dá o play!

Ficha Básica
Direção:
Mike Nichols
Ano: 2005
Gênero: Drama / Romance
Duração: 104 minutos
Classificação Indicativa: 14 anos

———
– Todas
as cenas do filme são marca registrada de seus proprietários.

Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

Sem comentários ainda para “Análise: Closer – Perto Demais”

  1. madinha disse:

    Ótima crítica Diego, mas realmente não gosto desse filme.
    Acho que assim como o oposto, ou seja, filmes que romantizam em demasia os relacionamentos amorosos, este filme faz drama( no sentido negativo da palavra) demais. Sofre-se muito, fala-se muito e não reclamo nem da baixaria elegante, que não me incomoda, mas sim do exagero na demonstração do fracasso amoroso.Nunca consegui assistir até o final.
    Beijos

    • Diego Flyfish disse:

      Gostei do seu comentário, Madinha. =]

      ### Pequenos Spoilers a seguir ####

      Não te culpo, Madinha. Acho que é bem compreensível alguém não gostar de Closer.

      Mas eu admito que o filme me pegou mais pelo insesperado. Eu gosto de filmes que me surpreendem. E Closer fez isso uma meia dúzia de vezes ao longo de seus 100 minutos.

      Entendo que, de uma forma geral, a gente espera uma evolução dos personagens. Que eles vão acabar se acertando no final… E a cada mancada que algum sacana dá, parece que a gente se decepciona junto dos personagens que foram afetados na história.

      Eu tentei assistir o filme mais como uma crítica, como disse na análise, do que como algo falando sobre amor e relacionamentos. De certa forma, o filme educa o expectador a como NÃO se portar nesses casos… É claro que cada um pode ter uma reação diferente ao terminar o filme. Pode ter gente que saia achando que é impossível estar junto de alguém sem viver de mentiras.

      Enfim, falei muito e não disse tanta coisa. Hahaha

      Beijos

      Só para constar, que, de certa forma, o filme me lembrou muito ao Beleza Americana (filmasso), com Kevin Spacey, que também fala de pessoas alienadas que, para parecerem normais, vivem de mentiras. Muito bom… Deu até vontade de rever agora.

      • madinha disse:

        Beleza Americana é maravilhoso, mas realmente não notei semelhança dele com Closer, acho que a abordagem do roteiro ém Beleza Americana é bem mais realista a música não sobe(figura de linguagem) toda vez que alguém leva um “pé na bu+nda”.
        Beleza Americana mostra o que ocorre na vida real o personagem do KS descobre que a mulher tem um amante e no dia seguinte, “feijão no fogo”, essas reações exageradas de decepção são mais comuns nos adolescentes e elas me pareceram estranhas nos trintões de Closer . Acho que é isso. Ah sei lá é cisma minha…rsrsrsrs…bjoca

      • Tarta disse:

        Gostei da comparação com blz Americana. Tanto por tratar de assuntos corriqueiros, quanto por surprender.

        Em nenhum dos dois filmes dá pra prever o final. Vc sempre espera algo isso não aconteçe.

        Acho isso muito bacana, não gosto de filmes que afrontam a inteligencia com desfechos obvios.

  2. sayuri disse:

    Crítica tão boa quanto o FILME. =)

  3. Júlia Veras disse:

    E aí, Diego, tudo certinho?
    Assim como vc, assisti a esse filme por recomendação dos dos amigos, mas, sinceramente, não curti. Faltou nele o mais importante, me emocionar. Não consegui mergulhar na trama de jeito nenhum, o filme não me “pegou”. Mas, me surpreendi com Júlia Roberts, que para mim, foi quem trabalhou melhor.

    Ah, e por fim, tenho um abuso GIGANTE dessa música tema.
    😛

    Beijos

    • Diego Flyfish disse:

      Fala garota Veras!
      Hahaha… Vou te falar que eu não gostava da versão em português da música (não conhecia a em inglês).

      Mas acabei gostando dela no filme. =]

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution