Crítica: Os Vingadores, de Joss Whedon

Se o Mr. Plinkett decidir fazer uma resenha sobre Os Vingadores (Marvel’s The Avengers/EUA/2012) não há dúvidas que ele encontrará uma infinidade de defeitos e incoerências. Afinal, o que seria dos filmes de super-heróis sem uma passagem exagerada aqui ou um uniforme engalhofado ali? A verdade é que o ultra-aguardado pipocão da Marvel – a versão para o cinema da reunião de alguns dos principais personagens da editora – atende com facilidade as expectativas, e se não for a melhor adaptação das histórias da “Casa das Ideias”, figura entre as mais divertidas.

Há muito tempo que o público dos filmes baseados em histórias em quadrinhos deixou o nicho nerd, tornando estas adaptações as mais aguardadas do verão americano. Vejam, só este ano ainda temos O Espetacular Homem-Aranha e O Cavaleiro das Trevas Ressurge. No caso dos Vingadores, grupo desconhecido por 9 entre 10 frequentadores dos cinemas, existia alguma apreensão. Primeiro, o filme começou a ser delineado há 4 anos, com a aparição de Nick Fury (Samuel “Modafucka” Jackson) em O Homem de Ferro, e teve seus alicerces preparados em todos os filmes com o selo Marvel; ou seja, os Vingadores seria o ponto culminante dessa escalada.
Trailers incrivelmente empolgantes, mas que deixavam transparecer uma breguice aqui e ali, vide o uniforme de festa de aniversário infantil do Capitão América, foram o primeiro ponto de preocupação. Ainda, há uma questão que sempre brota quando da transposição de quadrinhos ou games para a tela grande: qual será o grau de concessão que será feita entre o universo conhecido pelos fãs e entendidos e aquele que atrai o público em geral? Já se mostrou que é bem possível conciliar ambos, porém o medo da descaracterização está sempre assombrando.
Joss Whedon, novaiorquino responsável por séries de TV com Buffy – A Caça Vampiros e Firefly, e também bastante ligado ao mundo dos quadrinhos, assumiu essa tarefa de agradar gregos e troianos, e devo dizer, foi extremamente bem sucedido. Interessante, não teve uma pessoa com quem eu conversasse após a estreia nos cinemas que não tenha relatado a reação do público em suas respectivas sessões, ou seja, as pessoas de fato estão interagindo com filme, aplaudindo e torcendo pelos protagonistas, a empolgação reina. E quantas vezes, minha cara traça, você foi a cinema nos últimos anos e presenciou isso? Eu não consigo usar todos os dedos de uma mão se for fazer a contagem…
O que Os Vingadores têm de diferente então? Eu digo: respeito por quem paga o caro ingresso de cinema. Não estou dizendo que se tem um filme perfeito, digno de vencer vários Oscar, longe disso. Mas o produto que Whedon entrega é algo carregado de nostalgia, ação frenética e bem construída, humor inteligente bem distribuído durante o filme e que ajuda a aliviar alguns momentos de tensão, e uma história convincente. Finalmente vemos um grupo de heróis conhecido (muitos dos quais estiveram presentes na infância de quase todos nós) atuando em conjunto e contra um inimigo que oferece um risco em escala planetária.
Ser um cinéfilo é compreender as várias possibilidades que uma ida ao cinema oferece. Desde conhecer novas culturas, avaliar experiências que nunca teríamos em nossa vida diária, ou até mesmo fugir um pouco do nosso cotidiano. Mas antes de tudo, cinema é diversão. Há uma variedade de momentos em Os Vingadores que fazem arrepiar cinéfilos dos 8 aos 80 anos, em especial quando o Hulk (smash!) está em tela, mas que infelizmente não posso tratar aqui devido aos spoilers. Então, descubra por você mesma, pequena traça, e volte ser criança com os “Heróis Mais Poderosos da Terra”1.

1Se houver a possibilidade, recomendo às traças que o filme seja visto em salas IMAX. Simplesmente impressionante…

Notas (numa escala de 0 a 5):

- Imagem: 5

- Som: 5

- Geral: 4

*Imagens: Rotten Tomatoes

**Trailer:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

13 Comentários para “Crítica: Os Vingadores, de Joss Whedon”

  1. Roberto da silva disse:

    ta ai um filme que pretendo ir no cinema ver, e essa critica so me fez ter mais vontade de ir no cinema!!!

    otimo texto!!!

  2. Diego Flyfish disse:

    Cara, concordo com tudo… Acho até que sua crítica poderia se resumir numa frase que você escreveu:

    “O que Os Vingadores têm de diferente então? Eu digo: respeito por quem paga o caro ingresso de cinema.”

    Foi exatamente o que eu e a Vi comentamos alguns minutos após sair da sala do cinema. Enquanto a decepção de Episódio 3D fez me sentir roubado, lesado e estuprado; os Vingadores me passou uma sensação de satisfação que eu costumava sentir após sair de um parque de diversões, quando era criança.

    Esse já virou um clássico do cinema pipocão, na minha opinião. Me lembro que muitos falavam isso de Transformers, mas eu nunca achei aquele lá essas coisas, tinha muita enrolação e piadas forçadas, os Vingadores, sim, é perfeito para quem quer ver muita ação de uma forma divertida.

    Em matéria de trama é qualquer coisa, ainda perde de lavada de um Dark Knight ou um Homem de Ferro, mas ela não chega a ser idiota como no supracitado Transformers.

    Enfim, ótimo filme.

  3. mike martin disse:

    Fraquissimo o filme… muito sessão da tarde!!!

  4. Sandro disse:

    Muito bom o filme, mas depois de ver muitos spoilers e criticas positivas bem construídas sobre o filme, tenho que dizer que não achei o filme essa coca cola toda.O filme é muito bom,a Marvel superou os filmes até então feitos pelo mesmo. Sou fã de Hq’s tanto da MarvelComics quanto da DC Comics, porem achei que o filme foi pensado mais para o publico infantil. Não estou dizendo que o filme é ruim, não senti que fui roubado ao comprar o ingresso do cinema, porém na minha opinião não conseguiu superar Batman do Christopher Nolan. Mas o bom do filme é que ele consegue abranger tanto o publico infantil e também o “publico adulto.”

    • Fábio Nazaré disse:

      Então Sandro, as propostas de Vingandores e dos Batmans de Nolan são opostas, não dá para comparar. Naturalmente, enquanto obra de arte, O Cavaleiro das Trevas excede as expectativas, mas é aquilo: você tem que ver os Vingadores com o espírito preparado para se divertir e não levar muitas coisas a sério. Mas, concordo com você quando afirma que o foco do filme foi o público infanto-juvenil…

  5. Flavia disse:

    muito sessão da tarde!!!

  6. Diego Flyfish disse:

    Acho que tem muito relacionado com o seu humor também… No dia que vi Batman, eu tava preparado para aquele tipo de filme. Mesma coisa aconteceu com Os Vingadores.

    Talvez se eu tivesse assistido Batman no dia que eu tava “preparado” para o filme dos Vingadores, eu não tivesse gostado tanto, pois queria mais roteiro do que efeitos.

    Até acredito que o filme esteja sendo realmente super estimado, seja pela crítica, ou seja por todo o esquema que a Marvel fez desde o primeiro Iron Man, mas eu não costumo mais levar tão a sério o que falam, justamente para não me decepcionar.

    Já devo ter comentado no blog em outras ocasiões que até hoje acho Titanic um filme meio escroto por causa disso, fizeram tanto barulho, que quando fui assistir, não achei nada demais… Talvez eu até esteja precisando rever este filme hoje com a mente mais leve para poder apreciar melhor.

  7. Paulo Silva disse:

    Assisti ao filme ontem, e digo: Parabéns! O Vingadores são perfeitos. Nota 9,9.

  8. Sr_Ânimo disse:

    Cara eu fui ver e gastei quaze 80 reais, com 2 ingressos 3d +pipoca mais vo fala que valeu cada centavo.

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution
2011 animação anime análise ação batman cavaleiros do zodíaco charge cinema comédia corrida critica desenho engraçado ET fantasia ficção filme filmes flash formula 1 game guerra história histórias humor internet jogo jogo em flash jogos livro música nerd pc plataforma podcast quadrinhos receita review rock Star Wars suspense terror Tirinha vídeo