Gavestática 87 – Preconceito

gav87-podcast-preconceito

Salve, ratos e traças! Neste programa, acabamos caindo em um assunto que foi bastante comentado na podosfera esse mês. A princípio iríamos fazer apenas mais um Gavestática sobre as coisas que andamos fazendo, só que o assunto do preconceito acabou rendendo tanto que se transformou em um podcast temático. Qualquer opinião divergente (que seja respeitosa), fique a vontade para expressá-la nos comentários.

Entre na sala, pegue um café e participe da conversa mandando um e-mail para contato@gaveteiro.com ou acessando nossa fan page no facebook!

Reproduzir

Tamanho: 49,1 mb
Duração: 71:28
Feed do Podcast

Comentado no programa:

– Podcast: Anticast 198 – O Machismo (e outras coisas) no mundo Nerd
– Podcast: Anticast 199 – Comentários sobre o #AntiMachismoNerd
– Texto: “O que aconteceu com o Pink Vader”, da Laura Buu
– Podcast: Bilheteria 49 – Comédia sem limites (tratando preconceitos)
– Podcast: Bilheteria 50 – As Mina (tratando feminismo)

Comentado no Bloco de Notas:

– Patreon do Gaveteiro.com
– Vídeo do ouvinte Saulo Vipper, sobre Exorcista

STEAM:

Grupo oficial do Gaveteiro.com
Diego Flyfish
Vivi

Outros podcasts com temas parecidos:

– Gavestática 80 – Marcas e Produtos Influenciam?
– Gavestática 86 – Mad Max, Jurassic World e Carl Sagan

Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

41 Comentários para “Gavestática 87 – Preconceito”

  1. José Neto disse:

    Eu tenho preconceito com otaku, sei lá… deve ser coisa da idade.

  2. Marcos Sostenes disse:

    E aí traças, acabei de ouvir o podcast 87 sobre preconceito, obrigado por lerem meu email. Aquela parada de furacão é uma referência ao seriado “Como conheci sua mãe” s07e09. Valeu e obrigado a todos.

  3. Douglas disse:

    cara de fato se for ouvir podcasts antigos tem algumas piadinhas bem preconceituosas,mais que saem tão naturalmente e por estar dentro do contexto, quem ouvi leva na brincadeira. afinal da para perceber que não e o modo como vcs realmente pensam.

    ps:quem editou o cast tava espirado pois as musicas de fundo uma melhor que a outra

  4. Dennis Freitas disse:

    O Gavestática é um dos poucos podcasts q escuto hj em dia. Deixei de ouvir NerdCast justamente pelos comentários machistas e homofóbicos recorrentes q acabaram enchendo o saco. Sou gay assumido e não vejo sentido em ouvir formadores de opinião sendo ofensivos e se escondendo atrás do “humor”. A comunidade “nerd” (seguidores xiitas de jovem nerd e afins) acabam se tornando babaquinhas q não pensam e não sabem ter empatia. Hoje escuto vcs, mundo freak e alguns poucos outros, q falam de temas de meu interesse sem precisar apelar para piadinhas ofensivas desnecessárias. Continuem com o ótimo trabalho. Abraço.

    • Aiken Frost disse:

      Concordo com o que disse, humor não é desculpa pra ser babaca.

      No passado, quando mais imaturo e idiota, eu realmente era um preconceituoso escroto. Ouvindo alguns dos nossos programas mais antigos, sinto uma vergonha IMENSA de certas coisas que eu falei.

      Gosto de acreditar que as pessoas podem evoluir, se tornar mais tolerantes e abandonar essas posturas idiotas como as que eu tive nessa época. Não que eu não fale merda de vez em quando, todo mundo deve continuar tentando melhorar sempre. Triste é ver sujeito velho, que deveria saber mais do mundo, continuando a perpetuar preconceito sem sentido.

      Todo mundo tem o direito de não concordar ou não gostar de certas coisas. Simultaneamente, todos tem o DEVER de respeitar o próximo.

    • Diego Flyfish disse:

      Eu comecei a acompanhar o Mamilos, depois da indicação do Fábio. Tou achando muito foda. Caso não conheça, acho que vale a pena incluir este na sua lista. Se os assuntos tratados forem do seu interesse, claro.

      Inclusive, lendo o comentário do Aiken, lembrei de algo que elas falaram em um dos casts. Que é normal alguém ser um babaca, o problema é permanecer nesse estado pra sempre.

  5. Lucas Freitas disse:

    Concordo com a posição do Fábio em relação ao preconceito\machismo no mundo podcaster-nerd.
    Pensei a mesma coisa ao ouvir esse anticast:
    Existe preconceito, precisa ser combatido, mas não tem como cobrar uma “representatividade mínima” de gênero ou afins em podcasts, ou cobrar temas específicos.Fica muito forçado.
    O próprio nerdcast tem episódios bem bacanas, como o do ouviente que é cego.
    O que dá pra fazer mesmo é se policiar, e ser menos tolerante com essas atitudes.

    • Diego Flyfish disse:

      Confesso que ao ficar mais atento aos comentários machistas apontados pelo anticast, eu fiquei meio nhé com o Nerdcast (que ainda é um dos meus podcasts favoritos). Sim, eles têm coisas bem legais, apenas acho que seria muito da hora se eles se manifestassem e mudassem (ou tentassem mudar) essa postura. Só que eles precisam primeiro reconhecer o erro. se por um acaso eles nem se quer acharem que estão errados, não sei o que pode ser feito.

  6. Olá, conheci vocês por uma indicação do Evilzin do podcast Nós Travamus, gostei muito sobre o papo sobre preconceito que vocês fizeram, achei muito legal, mesmo. Sucesso aí galera

  7. Viny Machado disse:

    Terminando o cast aqui vou conferir a treta no Anticast hehe

  8. Saulo Vipper disse:

    OMG OMG OMG eles leram meu email OMG OMG OMG OMG OMG OMG

    =)

  9. Lucas disse:

    O politicamente correto destruí um dos meus Podcasts favoritos que pena tudo tem um fim mesmo que seja um fim horrível e doloroso.

  10. Tiago Verde disse:

    Excelente programa.

    Com relação ao tópico machismo eu tanto concordo como discordo de muita coisa e as vezes tenho até medo de expressar opiniões sobre o assunto porque posso ser mal interpretado.
    Machismo existe? Claro que existe. Preconceito existe? Claro que existe. Violência contra mulheres, negros, gays entre outros existe? Com toda certeza sim.
    No entanto as vezes penso que existe um certo exagero, volto a dizer, não me entendam mal, mas hoje você não pode elogiar a beleza de uma mulher sem se preocupar com o fato de que ela possa se sentir ofendida. Será que sou assim tão antiquado? Não sou tão velho e me incomoda usar a expressão “no meu tempo”, mas verdade seja dita, “no meu tempo” uma moça se sentia bem em ser admirada. E afinal, uma mulher até onde sei gosta de se sentir bonita. Ela usa um sapato alto que machuca o pé porque quer ser admirada. Ela usa um decote, ou um vestido um pouco mais justo, não porque quer sensualizar, mas porque se sente bonita. Obvio que o calor e conforto também são fatores que ajudam na escolha da roupa. E também é obvio que cantadas escrotas e de mal gosto existem só não gosto de ser colocado do mesmo saco que esses sujeitos quando muitas vezes a minha intenção é simplesmente admirar a beleza de alguém.

    Mas talvez eu seja mesmo antiquado.

    • Fábio Nazaré disse:

      É cara, a linha é bastante tênue. E num tempo de posições extremas e opiniões exaltadas às vezes é complicado definir onde esta linha está. Lembro que uma vez fui acusado de racismo por usar a palavra “denegrir” em um texto. Bom senso é algo raro hoje em dia…

    • Diego Flyfish disse:

      Tudo é relativo.

      Na minha opinião um simples elogio como “você é bonita” pode ser antiquado dependendo da situação.
      Exemplos (na minha ótica de homem rs):
      1) Se a mulher é uma amiga sua, provavelmente ela não se incomodaria, isso entendendo que sua intenção é puramente elogiar.
      2) Se você, sendo solteiro, fala isso para uma mulher em uma balada, ela pode gostar ou não, mas provavelmente não estranharia a abordagem por estar em um local em que isso é algo normal.
      3) Se você fala isso na rua para uma desconhecida, eu imagino que é natural sentir um desconforto da parte dela.

      E mesmo esses casos pode variar de mulher para mulher. Lembro que uma amiga uma vez falou pra mim que levou uma daquelas cantadas clássicas de um pedreiro. A reação dela foi xingar o cara, mas quando se virou para ir embora, ela confessou que deu uma risadinha e se sentiu bem. Isso porque ela andava em uma fase sem muita auto-estima e até aquela cantada escrota melhorou o astral dela.

      Mas como eu falei, tudo isso é sob uma ótica de homem. As vezes nem consigo prever as reações da minha esposa, quanto mais de outra mulher. Hoje eu penso assim: se você der uma cantada talvez ofenda. Se você não a fizer, a garota não achará ruim. Então na dúvida é melhor ficar na sua.

      • Tiago Verde disse:

        Absorvo sua opinião e entendo esse ponto de vista, acho que é um direito da mulher não gostar disso e exatamente por isso fico na minha também. É que muitas vezes vejo um elogio com mais inocência do que muita gente. O fato de eu olhar ou achar uma moça bonita na rua não significa que quero sexo com ela saca? No meu caso, tenho esposa, e por mais linda que uma mulher possa ser, ela tem que comer muito feijão para fazer eu trocar ou trair a minha mulher, porque o conjunto da obra é que me conquistaria.

        E os elogios ( não gosto da palavras cantada, porque ai sim acho escroto ) foi na verdade só um exemplo nessa linha tênue que o Fabio comentou. Quer outro exemplo? Volto a falar da minha esposa. Formada como Engenheira Civil, convive diariamente com situações desagradáveis em ambientes dominados por machistas, seja no trabalho ou na época de faculdade. Ela poderia, porém em 8 anos ao lado dela, nunca ouvi ela reclamar. Ela bateu no peito e decidiu vencer, nunca abaixou a cabeça ou culpou a sociedade. Acho que esse exemplo é valido para qualquer pessoa que se sente discriminada.

        • Diego Flyfish disse:

          Mas o fato de sua esposa não reclamar não quer dizer que o problema é menor. É admirável que ela consiga lidar bem com a situação, mas esse argumento sugere que toda mulher tem que se esforçar para “bater no peito e vencer”. Ou seja, uma engenheira já começa sua carreira com uma pressão extra por ser mulher. Parabenizo sua esposa, mas as reclamações de quem não pensa como ela não são exageradas.

    • Ana Balderramas disse:

      Tiago,

      o mais difícil nessa questão é ter empatia e tentar se colocar no lugar do outro. Uma “cantada” de uma pessoa que você conhece, a paquera existe, não é disso que a gente fala que incomoda. Se você está afim de uma garota, conhece ela e faz um elogio e ela te dá abertura, vai fundo. Mas se ela diz não é não.

      Outra coisa bem diferente é a gente botar um vestido curto, sair na rua e 90% dos homens virarem a cara pra te olhar, se sentirem no direito de te chamar de “linda, gostosa, safada, delícia, tesão, etc etc etc”. Além do olhar como se você fosse um pedaço de carne. É desesperador, pois nunca sabemos se o cara vai se achar no direito também de te tocar, puxar, sei lá. Partir pra ação.

      Tenta se imaginar nessa situação. Vou dar um exemplo igualmente preconceituoso, mas vá lá: imagine que você está num ambiente cheio de homens gays. Homens de todos os tipos, bonitos, feios, altos, magros. E você está sem camisa andando pelo espaço. Imagina se todos eles resolvem te cantar a cada passo que você dá. Te chamam de gostoso, mandam você chupar o pau deles, te olham de cima a baixo. Como você se sentiria? A gente vive isso TODOS OS DIAS.

  11. Rafael C. disse:

    Não costumo comentar aqui, mas ouvi o podcast e achei esse vídeo interessante: https://www.youtube.com/watch?t=222&v=2Ff2gWZ3z8A
    Não sei quanto a idoneidade da moça e dos dados que ela apresenta, mas para mim não foi difícil enxergar inúmeros outros exemplos dentro da nossa realidade.
    Sinceramente já to de saco cheio desses/dessas feminazis e todo o povo que só sabe reclamar e alardear aos quatro cantos todos os “problemas que afligem o mundo” segundo o seu míope ponto de vista… Não sabem olhar para o lado, não tentam compreender as demais implicações do que tanto clamam/reclamam/impõem…
    São realmente uma horda de zumbis… repetem o comportamento dos demais sem qualquer fagulha de raciocínio…
    O Plus é um bom exemplo disto, tem quem apoie as milícias e em todo o canto vê-se espalhados prints de gente defendendo os “oprimidos pela burguesia”… e todos convictos de sua razão defendendo agressivamente seus pontos de vista, não enxergam que ambos estão ridiculamente errados.
    Eu sinceramente não entendo a dificuldade das pessoas em enxergar um meio termo… A lógica é tão simples, eu não diria nem que é uma questão de tolerância, é uma questão de respeito… Independente de gênero, orientação sexual ou qualquer outra diferença… basta tratar o outro com igualdade…
    Óbvio que todo mundo é falho, eu já teci comentários machistas e homofóbicos, venho de uma família extremamente preconceituosa e convivo com outras pessoas que também são… mas bastou um pingo de bom senso e botar o orgulho de lado pra admitir que eu estava errado e mudar meu comportamento… Isso não necessariamente impede que no futuro acabe cometendo novos erros com outros motivos e igualmente analise a situação e mude novamente… Exemplo disso é um comentário que fiz aqui em 2013, gavestárica 61, que hoje me dá até vergonha…
    Um cara há mais de dois mil anos aconselhou a amar ao próximo como a ti mesmo e outros milênios antes dele já haviam falado o mesmo, mas parece que nosso egoísmo nunca vai permitir o surgimento/manutenção de uma sociedade realmente justa.

    • Diego Flyfish disse:

      Bom comentário. Só discordo na parada que é simples. Ou melhor, nas suas palavras você fala que a “lógica é simples”, de fato não é. Mas o problema vai muito além da pura lógica quando tratamos de questões culturais. Um exemplo disso é o próprio comentário que você fez em 2013, que fui lá ler hehe… Cara, eu lembro que na época não vi problema nenhum nele, nem a Vi, e provavelmente nem você, claro. Então é até compreensível quando o povo age de forma ignorante e não é fácil consertar esse comportamento. O que acho que dá pra fazer é apontar esses defeitos para as pessoas notarem que não são tão unânimes em seus discursos.

      • Rafael C. disse:

        Você tem razão, de fato fui um tanto simplista em minha afirmação…

        Ouvi o AC e descobri uma série de coisas que eu não notava antes. Mesmo que a gente tente não fazer aos outros o que não gostaríamos que fizessem com a gente acabamos fazendo pq muitas coisas estão “camufladas”, muito é visto como normal embora seja errado.

  12. José Jeremias disse:

    Discussão ridícula, o que vocês definem como preconceito é na verdade um conceito formado, o que vocês acham que Deus pensa sobre homossexualismo?
    Existem um corpo para o homem e um para mulher cada qual com sua função estabelecida por Deus, brincar com fezes não passa de perversão.
    Mas não adianta, quem, por mais puro que possa ser, pode convencer o homem do pecado? O pecado está ligado à natureza humana, desde a queda. O pecado ronda, ataca e destrói todo aquele que é seu servo. O homem, além de não admitir seu pecado, faz a vontade da carne. E a concupiscência da carne leva a morte.
    O nascido de Deus não vive dominado pelo pecado. Mesmo ele caindo, levanta. Não há como servir a Cristo cometendo atos reprovados por ele.
    Penso na tristeza de um pai de saber que seu filho não será salvo, que queimará no inferno por toda eternidade, que Deus abençoe os pais de todos os depravados.
    A bíblia também é mais do que clara quanto ao papel da mulher, criada por meio de um pedaço do homem para o acompanhar e servir. O que andam pregando só vai de encontro às leis do Senhor.
    Busquem a salvação o mais breve possível, procurem a IURD, ou até mesmo qualquer outra de denominação evangélica (Assembleia, Congregação, Batistas, Presbiteriana, etc.) todas em seu cerne pregam a verdade.
    Busquem a salvação.

    • Diego Flyfish disse:

      Você só não levou em conta uma coisa: e se tudo isso que você falou não for a verdade? Não há como provar que o seu pensamento é o correto e a Bíblia não é argumento para alguém que não acredita nela. Sendo assim, não há nada que você possa fazer.

      Você não precisa apoiar o homossexualismo se isto vai contra suas crenças, mas ainda há espaço para a tolerância em ambos os lados. Proibir ou discriminar um homossexual por seus atos vai até contra o tão falado livre arbítrio que Deus deu aos seus filhos. Se Deus não quer impedir uma pessoa de seus atos, por que a gente faria isso? Também não estamos aqui para julgar, quem decide a tal “salvação” é Ele e não você, velho.

      Não quero te colocar no mesmo saco, mas já colocando, são por conta de pessoas que pensam igual a você que vemos tantas agressões e assassinatos de homossexuais por aí… Agora me pergunto, MESMO levando em conta que Deus condene o homossexualismo, o que será que Ele acha disso? Falar que a discussão é ridícula é ignorar que você mesmo pode estar apoiando a proliferação do pecado sem saber.

      Se formos analisar o que é pecado, somos todos pecadores.

    • Fábio Nazaré disse:

      O que invalida totalmente o seu comentário é que nele você tenta trazer um aspecto individual e pessoal (a religião) para o coletivo e para a vida em sociedade. Quando você fere esse princípio básico, não há porque levar em consideração qualquer dos seus argumentos.

      • José Jeremias disse:

        Veja bem, vamos por partes.
        Sim, o livre arbítrio faz com que a religião seja um aspecto individual, porém a bíblia é perfeita, ela conta desde a criação do nosso mundo há 6000 anos atrás até o seu fim. Nela você verá que Deus proibiu ao homem comer o fruto da árvore do conhecimento, mas em momento algum ele impediu, disso podemos ver duas coisas: existe o livre arbítrio E existem as consequências do pecado, nesse caso a expulsão do paraíso, o dilúvio é outro grande exemplo, o fato de homossexuais serem espancados e mortos também, não é porque existem pessoas que pensam como eu, se eles não vivessem neste pecado provavelmente nunca sofreriam estas consequências.
        Qualquer um tem o direito de acreditar no que quiser, mas não existe verdade fora da bíblia e qualquer escolha diferente da salvação trará consequências.
        Eu não sou intolerante, eu tenho compaixão, todo pecador pode se arrepender e voltar a viver o caminho da salvação e é por esse motivo que espalho a palavra.
        Aqueles que não acreditam na bíblia, são coitados, escravos que não serão arrebatados, espalhar a palavra a eles é compaixão.
        Veja, eu mesmo tenho um funcionário que não é evangélico. É um católico não praticante, o menino é inteligente e eu morro de pena dele, sempre converso com ele e tenho fé que vá conseguir ajudar ele a se salvar. Descobri recentemente que a mulher dele é espirita, ela já é um caso mais complicado porque invoca demônios, eu por compaixão aconselho a se afastar dela, mas não tenho como obrigar.
        Veja, todos somos pecadores já que existiu o pecado original, e todos no nosso dia a dia temos sentimentos ruins e cometemos pequenos pecados, mas existe uma diferença grande entre cometer pecados e viver em pecado, quando escolhe o homossexualismo esta escolhendo viver uma vida de pecado.
        Aconselho sempre a procurar a ajuda de alguém mais esclarecido em algum de nossos templos.
        Fico feliz que nossa representatividade em nosso país esta ficando cada vez mais forte, o povo de Deus esta cada vez maior, estamos cada vez mais presentes no nosso governo, isso é muito bom porque logo poderemos criar mecanismos para endireitar nossa nação, vamos lutar para que isso aconteça.
        “Bendito seja o Senhor, a minha Rocha,
        que treina as minhas mãos para a guerra
        e os meus dedos para a batalha. Ele é o meu aliado fiel, a minha fortaleza,
        a minha torre de proteção
        e o meu libertador;
        é o meu escudo, aquele em quem me refugio.
        Ele subjuga a mim os povos.”
        Salmos 144:1-2

        • Fábio Nazaré disse:

          Invocação de demônios é com o Mundo Freak Confidencial 🙂 Sobre o aumento da representatividade evangélica (especificamente nos meios políticos) creio que seja um retrocesso. Vejo, porém, a existência de um congresso conservador neste momento como um pequeno desvio do caminho para uma sociedade mais evoluída. Como sempre digo, há sempre grupos querendo manter as pessoas na ignorância, porque voltar a Idade Média interessa àqueles que detêm o poder, é interessante e lucrativo. A lavagem cerebral que boa parte das igrejas evangélicas (há algumas poucas que se salvam) dissemina está incluída nesta situação. Felizmente a ciência histórica já mostrou que o vetor da evolução social sempre aponta para o arrefecimento dos preconceitos, intolerâncias e conservadorismos sem fundamento. Não há porque ter pena daqueles que não acreditam na Bíblia, na Torá ou no Alcorão.

        • Diego Flyfish disse:

          Mais uma vez você está levando em consideração somente a sua religião como verdade imposta para todos. Tudo bem, não vou mais questionar essas coisas, como o mundo ter sido criado somente há 6000 anos, etc. Beleza, vamos partir do pressuposto que tudo que você escreveu seja verdade…

          Ainda assim, você se contradiz.

          Se as coisas são da forma que você escreveu, você deveria reconhecer que não existe essa de livre arbítrio então.

          Homossexuais são espancados por um motivo social e não necessariamente religioso. Eu até poderia dar crédito a você se os cristãos, exclusivamente, não fossem vítimas de males semelhantes, por não “estarem no pecado”, mas eles são. Não precisa ser nenhum pesquisador para ver isso.

          Mas mesmo assim, mais uma vez, vamos supor que seja verdade o que você disse sobre homossexuais estarem em pecado e os espancamentos serem a “punição” deles…

          Pera lá, você mesmo disse que um pecador pode se arrepender, correto?

          E que um homossexual, por ser um pecador, poderia se arrepender. Correto?

          E por que, em vez de espancá-los, Deus não os deixam seguir o curso natural da vida deles? Isso sim é livre arbítrio. Afinal, se um homossexual é espancado e morto lá pelos seus 20 e poucos anos, você não concorda que foi dado muito pouco tempo pra ele “se arrepender”? Sendo que o cara que o assassinou (matar é pecado, você sabe disso) pode chegar aos seus 80 anos e pedir perdão pra Deus no último de seus dias… Você não acha que é um pouco injusto?

          E outra, se o homossexual é um pecador e irá para o inferno por isso, pra que espancar então? Ele ir para o inferno já não é a consequência divina? Ele tem que ser espancado e morto antes? E as pessoas que o espancam, não deveriam ser espancadas também então? Essas coisas não entram na minha cabeça.

          Talvez você nem suspeitasse disso, mas eu sou cristão. Rezo quase todos os dias, faço meus agradecimentos e meus pedidos para Deus. Mas não é por isso, que eu não posso questionar as atitudes que vejo em outros cristãos ou líderes religiosos. Acho que tem muita coisa errada por aí… Acho super ok você querer espalhar a palavra, que te fez tão bem, para outras pessoas, mas esse discurso poderia ser o de amor ao próximo e não o do medo das consequências. Imagino que Deus (se Ele existir como eu acho que exista) não iria querer que as pessoas acreditassem nele apenas por terem medo de ir para o inferno.

        • Rafael C. disse:

          Partindo da crença no Deus cristão, que ele criou o universo e tudo o que nele existe, incluindo nossa Terra (praticamente inofensiva rs) e as criaturas ignorantes que nela habitam, como você julga ter a capacidade de compreender o que um ser tão grandioso e complexo pensa?

          O fato de homens e mulheres terem corpos com estruturas diferentes não necessariamente significa que Deus os criou somente pra um fim específico, mesmo porque além de genitais as pessoas tem a capacidade de pensar e tem sentimentos. Brincar com fezes??? Parece que pra você toda relação se resume a sexo, você está ignorando qualquer forma de afeto/companheirismo/amor…

          Nós não somos um grão de poeira em todo o universo e você realmente acredita que um indivíduo amar X ou Y tem alguma importância pra Deus???

          De tudo que li aqui me parece que fezes é o que você tem na cabeça e solta pela “boca”…

          “papel da mulher, criada por meio de um pedaço do homem para o acompanhar e servir”… Você falou que quem não crê na bíblia é um coitado, para mim coitadas são (se existem) tuas filhas, esposa, mãe… Não sou um grande conhecedor da bíblia, mas por esse tipo de asneira que só levo em consideração o novo testamento…

          Toda essa condenação por conduta que vocês pregam pode ser questionada com o exemplo da adultera que seria apedrejada e Cristo defendeu… Pelo “pouco” que li não me recordo de Cristo ter condenado qualquer pessoa por qualquer motivo, pelo contrário ele acolheu a todos, mesmo os assassinos, ladrões, etc…

          Toda essas regras não passam de distorções criadas pelas religiões para manter o gado na linha e se aproveitar do poder que isso promove, essa representação evangélica na política é um verdadeiro câncer pro nosso país, misturar política com religião nunca deu certo em nenhum lugar do mundo e aqui não vai ser diferente… Se continuar evoluindo, esse fundamentalismo religioso vai acabar criando conflitos dentro do nosso país.

          • Diego Flyfish disse:

            Ótimo ponto esse da complexidade de Deus, Rafael. Eu acho interessante como muitas vezes as pessoas atribuem raciocínios humanos a Deus. Se Ele existe, está muito além da nossa compreensão total, como seres humanos.

            Sem querer galhofar, mas aproveitando seu comentário, eu costumo falar a mesma coisa em discussões relacionadas a alienígenas. Até o Aiken já comentou isso em um Gavestática mais antigo, que as pessoas tendem a achar que se existir um ser extra-terrestre inteligente, ele obrigatoriamente veria o mundo e pensaria igual a nós.

  13. Rafael C. disse:

    Diego, não consigo responder diretamente… rs

    Bem eu na verdade não acho que é galhofar, por lógica é improvável que não existam outros seres vivos em todo o universo e por estarem tão distantes de nós acho que também é improvável que tenham alguma semelhança, dentro do nosso próprio planeta existem tantos animais distintos, imagina no universo…

    Se dentro da nossa própria espécie tem criaturas que pensam de formas tão diversas, isso tendo como base +- as mesmas experiências básicas, também acho improvável que algo totalmente alheio a nossa realidade pense igual a nós…

    Uma coisa interessante que vi há pouco tempo foi a experiência de fenda dupla (https://www.youtube.com/watch?v=lytd7B0WRM8), se dentro da nossa própria realidade partículas se comportam de forma diferente com e sem um observador, quem garante que não existem outras realidades paralelas à nossa dentro desse mesmo planeta? Qual dessas realidades um extraterrestre enxergaria? rs

    Tudo é tão maior que a gente que quando a gente pensa a respeito não consegue impor limites, tudo pode existir…

  14. Carol disse:

    lembro de ouvir vocês na época em que eram babaquinhas! hoje eu estava procurando algo novo para ouvir e caí aqui novamente. esse é o primeiro cast que ouço depois de muitos anos, e fiquei muito feliz por ver que vocês continuam com o podcast ativo e se tornaram pessoas mais fofinhas 🙂 pena que nesse não tem o aiken, ele era o que mais me irritava com comentários idiotas, agora preciso ouvir outros casts pra ver como ele está hoje!

    notei que nos comentários tem uma discussão imensa, e eu só queria pontuar que não ser racista, homofóbico e machista é o mínimo que cada um deveria ser.

    • Diego Flyfish disse:

      Feedback massa! Se voltar daqui uns 5 anos, acho que a gente vai tá melhor ainda! xD

      • G. De Jesus disse:

        Verdade, eu mesmo quando descobri o gaveteiro tratei logo de ouvir todos e quanto mais pra trás eu ia mais idiotice e lugares comuns vocês estavam visitando, reproduzindo algumas canalhices, acredito que por influência do que viam e julgavam certo na época. Não lembro bem, mas tiveram uns dois episódios com um convidado bem chato, que nunca mais apareceu (ainda bem), que eu simplesmente parei de ouvir por conta do bando de baboseira que tava sendo falada tentando soar politicamente incorreto, no melhor (ou pior) estilo Danilo Gentili de humor. Não se esquivem das discussões nem das crenças, e nem mudem pela audiência, só tentem não visitar os mesmos lugares que todos visitam por conveniência.
        Abraços e sucesso!

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution