Gavestática 23 – Politicamente Correto

Salve, ratos e traças! E não é que a chinela cantou nesse podcast?! Quase rolou tapa na base do Gaveteiro! Confiram, nessa edição, uma discussão acalorada sobre o politicamente correto e as coisas em volta do assunto.

Entre na sala, pegue um café e participe da conversa mandando um e-mail para engavetados@gmail.com ou acessando nosso fórum!

Reproduzir

Tamanho: 20,7 mb
Duração: 44:20
Feed do Podcast

Texto Sobre Racismo: Danilo Gentili

– Vídeos:

Gaveta dos Desesperados!!!

———

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

27 Comentários para “Gavestática 23 – Politicamente Correto”

  1. Aiken Frost disse:

    Eu quero ver essa discução continuar nos fóruns, galera. >=)

  2. Anderson Borges disse:

    politicamente correto, não é uma opinião pessoal, é uma opinião social, cada lugar tem sua própria definição de politicamente correto, como o exemplo do japão que foi citado, uma coisa pode ser politicamente correta aqui e lá não e ao contrário também e Hipocrisia é uma coisa diferente, vc pode ser politicamente correto, por acreditar que a atitude é certa, ou fazer apenas para levar vantagens ou evitar problemas (hipocrisia)

    a opinião sobre direitos humanos foi rasa

  3. Diego Flyfish disse:

    O Anderson foi feliz em falar isso de “opinião social”, acho que é bem por aí… É você pensar na sociedade antes de expressar a sua opinião. Mas isso não quer dizer que você NÃO vai dá a sua opinião.

    No programa, o Aiken falou em certo momento que o politicamente correto tinha, sim, a ver com falsidade. Uma coisa que eu cheguei a pensar em falar, mas no calor do momento acabei esquecendo (rsrs), era o seguinte: como citado, o politicamente correto chama negros de afro-descendentes, certo? Isso não chega a ser uma mentira. Mentira seria se ele chamasse de “branco escurecido”.

  4. Tarta disse:

    Assunto polemico, muito dificil falar sobre isso, já que é algo relativo e politicamente correto é um conceito social, que vai de acordo com o senso comum se for colocado de forma geral. Acho até que o politicamente correto é bem relacionado ao código de ética, que se deferencia em relação a profissão e cultura local, sei lá…

    Como foi bem mostrado no gavestática o que acontece de verdade é você ser politicamente correto de acordo com a situação e acho que não tem como ser 100% politicamente correto.

    Em diversas situações como foi colocado pelo Cabral, se um desconhecido vem e te pertuba do nada. Se vc não enfia a mão na cara do infeliz vc é muito mané ou tem sangue de barata, dai já cai naquela parada que o Aiken defende de ser politicamente correte é colocar panos quentes nas coisas e/ou deixar tudo pra lá. Ai é quando a parada entra nos conceitos de hipocresia, demagogia, e falsidade como foi colocado.

    Eu particularmente não muito politicamente correto se vc avaliar em porcentagem, comparando ao Fly e seu irmão que são amigos pessoais de longa data. Eu acho que fico nos 40% e eles nos 90%

    uff… Me diverti bastante vendo a discussão inflamada tipo debate MTV, so faltou o Lobão pra controlar a polemica.

    Abraço a todos.

    • Diego Flyfish disse:

      Hahaha só faltou o Lobão foi boa! Hehehe

      Acho que é legal umas discussões assim as vezes. Até hoje, um dos meus Gavestáticas favoritos foi aquele 11, de pirataria (até linkamos, a propósito). Não dá pra ficar falando só merda sempre, né? rs

      Engraçado que você falou das porcentagens aí, e eu tinha falado em off com a Vi justamente isso que tu disse, que eu acho que sou uns 90% politicamente correto.

      O Aiken já deve ser do seu time… Hahaha

  5. WILL™ disse:

    Nuss, meu audio ta terrivel!

  6. WILL™ disse:

    Pra começar…

    Aquele dia na casa do Pedro, eu mandei ela ir pro fogão.

    E eu tive que sair nao por causa dela…

  7. gabriel teixeira disse:

    pra mim, aiken no comando.

    se ele fosse ditador, o mundo ia ficar bem mais legal.

    PS: porfavor eu nao estou menospresando ninguem

  8. Manu Agra disse:

    É politicamente incorreto se eu contar a piada do haitiano? 😡

  9. Júlia Veras disse:

    Como diria um amigo meu, uma coisa é uma coisa e outra coisa é…outra coisa!!! Educação, falsidade e agir de forma politicamente correta são coisa completamente distintas. De uma forma geral, acho que a patrulha do politicamente correto diz respeito, prioritariamente ao discurso sobre as minorias, sejam negros, deficientes, pobres, homossexuais, orientais, crianças, nordestinos e lá vai…. Lembro-me que logo que entrei no jornal, usei a expressão “crianças carentes” em uma matéria. No dia seguinte, recebi um telefonema e levei o maior “carão” de uma integrante de uma ONG:

    – Júlia, carentes todos somos de alguma coisa. Da próxima vez, use o termo “crianças e jovens em situação de risco social, ok?”.

    E eu fiquei com a maior cara de tacho do outro lado da linha. Até hoje sou traumatizada com essa expressão, rsrs. Mas entendo também que certos termos podem soar um pouco agressivos, e por exemplo, que alguém prefira ser chamado de cadeirante do que de aleijado. Acredito que o jornalismo, por exemplo, tenha que ter um certo compromisso em não agredir ninguém.

    O que eu acho uma tremenda bobagem é tentar levar essa patrulha para o campo da produção artística. É foda, mas a desgraça alheia é engraçada desde que o mundo é mundo. Tem um cantor bem popular aqui no Recife, o João do Morro, que é politicamente incorreto até o a alma – faz piada com gay, maconheiro, jornalista, mulher do cabelo alisado, gente que não tem dinheiro para por crédito no celular. Ele tem uma música chamada “Papa Frango” (frango = gay, aqui no Recife) que estourou em todas as rádios. O Ministério Público tentou proibir sob o argumento de que seria ofensiva aos homessexuais – detalhe, que são boa parte do público dele. Adiantou? De jeito nenhum. A graça da música era justamente o seu teor “politicamente incorreto” e às vezes, a probição só faz atiçar o desejo de ouvir.

    Por fim, vou concordar com o Anderson que as colocações sobre a questão dos direitos humanos foram bastante rasas.

    O Aiken arrasou. Nem sempre concordei com suas opiniões, mas você foi muito engraçado =)

    Beijos a todos, gostei do programa.

    • Diego Flyfish disse:

      Muito bem colocado, Júlia.

      Acho que sobre isso do jornal é até fácil de entender. É uma mídia que tá ali pra todos, se você começa a agredir determinado público (mesmo não tendo essa intenção), aquele nicho vai começar a se afastar… O politicamente correto tá ali no jornal pra tentar reunir o maior número de leitores possíveis.

      Você falou o caso do cadeirante e eu até concordo que aleijado soa meio agressivo… Mas algo que eu não entendo é quando alguém vai falar de deficiêntes mentais e se refere como “especial”. Ano passado, no dia das crianças, eu vi uma matéria que alguém (acho que foi a Ana Maria Braga) foi a um abrigo de crianças deficientes mentais e a repórter, ou seja lá quem foi, disse “aqui eles abrigam várias crianças especiais”… Isso bate com aquela mesma discussão da criança negra e da criança branca, que falamos no cast. Se um moleque pequeno escuta isso vai pensar “pô, quem tem problema é especial e eu não sou?”

      Hoje em dia, até tão querendo corrigir isso e começaram a falar “portadores de necessidades especiais”… Ah sei lá, não sei o que tem de errado em chamar alguém de doente mental. As pessoas que colocaram na cabeça que isso soa ofensivo.

      Até chamar a pessoa de aidético, hoje em dia, tem gente que se ofende… Daqui a pouco não vamos poder nem dizer que alguém tá gripado, teremos que falar “portador do vírus tal”.

  10. Raphael Oliveira disse:

    Poxa ficou devendo a piada Fly!!!!! rsrsr

    Edição foda…e que ficou estranho com a treta do Cabral saindo no meio!

    E conhecemos um pouco do lado nagro da Vivi, esculhambando o Aiken! ahauehuaehuaeheaueuh

    Muito bom, sobre o assunto, tenho tanta coisa pra falar…rsrs que prefiro ser politicamente correto e ficar na minha…pq se não além do Aiken eu tbm vou preso.

  11. gabriel teixeira disse:

    ei aiken eu nao concordo com suas opinioes, family guy satirisa com coisas q no minimo deveriam ser respeitadas…

    e sobre os seus comentarios sobre os filmes bons e ruins hehe, nao existe essa de o filme é uma bosta pq isso é do conceito de cada um, é a mesma coisa q eu falar q quem joga rpg é retardado e nao tem oq fazer( eu numca falaria isso), tem gente q gosta e gente q nao gosta…

    vcs fugiram muito do tema

    • Diego Flyfish disse:

      Especifique onde que fugimos muito do tema.

    • Aiken Frost disse:

      Ah, não Gabriel. Você está errado. Falar que um filme é uma bosta é diferente que ofender o pessoal que gosta dele (ou de RPG, no caso do seu exemplo). Eu mesmo falei no programa que eu gosto de um monte de coisa que é horrível, que é uma porcaria.

      O exemplo que eu dei inclusive, do filme Tropas Estelares, deve ser um dos piores filmes já feitos. Tudo nele é ruim, dos atores à direção, mas eu ADORO o filme. Mas eu não me escondo por trás de uma máscara de que “tem quem gosta”, eu reconheço que ele é uma ofensa de tão ruim.

      Existe uma diferença entre respeitar algo e ter senso crítico. Acontece que eu sou bom no segundo, mas nem tanto no primeiro. >=)

      • gabriel teixeira disse:

        a aiken, sobre o “tem quem gosta”, nao nessesaria mente é se esconder atras de uma mascara.
        tenho muitas amigas q gostao de crepusculo e pelos comentarios q elas fazem o filme parecer um dos melhores, porem se elas me perguntao eu digo q eu acho o filme é uma merda e tenho meus motivos, a pessoas q acham muitas coisas no filme legal q na minha opiniao sao defeitos…

        eu nao me escondo

        outra coisa, quem se ofende com as piadas do family guy nao tem nada de idiota, uma vez eles fizeram uma satira com DEUS nao teve nada de engraçado naquilo.

        eu me senti ofendido, entao me responda se por isso eu sou idiota

  12. Manu Agra disse:

    Desculpa a demora… kkkkk
    Lá vai:
    Como se faz pra colocar 10 haitianos dentro de um carro?

    Simples!

    Joga um pão lá dentro! ;x

    E como faz pra colocar 50 haitianos dentro de um carro?

    Joga um pão com manteiga!

    Bem infame… kkkk

  13. […] Gavestática 23: Politicamente Correto […]

  14. Aiken (foi tu que falou?), sobre policiais opressores, tu já levou um paredão?
    Eu e meus amigos levamos um de graça, pq um deles subiu em um arco da rua, só pq estava meio bêbado e achou isso divertido.
    Não havia motivo para sermos abordados por 6 policiais (que estavam de ronda numa festa nas proximidades, pistola apontada pra gente, ficar de cara na parede, tomar porrada e ter de ficar quietinho.
    Desde esse dia, vejo os policiais de uma forma diferente.

  15. Zé ruela disse:

    Senhor Dos Anéis é Um Lixo!
    Além do filme demorar 12 horas, a história é tão escrota que dá sono.

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution