GavetaGrid – As equipes e seus novos carros (parte 2 de 2)

Olá crianças, estamos aqui hoje para concluir a descrição das equipes que disputarão o campeonato 2011 da F-1, sem esquecer dos seus novos carros, é claro. Nessa segunda parte de duas (vide a primeira parte aqui!), continuaremos a analise superficial das outras seis equipes que completam o grid deste ano, especialmente as mudanças estéticas que os carros sofreram em comparação com a temporada de 2010 (lembrando que estas alterações têm o condão de acrescer força aerodinâmica, impor equilíbrio, etabilidade, etc.). Sem mais delongas, coloquem os cintos e virem a chave!

—————————

RED BULL (carro: RBR7) – Motor Renaut

A Red Bull é a grande força a ser batida em 2011, uma vez que sempre possuiu o melhor carro na temporada passada, conquistando, simultaneamente o título de construtores (campeonato por equipe) e o título do mundial de pilotos com o alemão Sebastian Vettel, o verdadeiro favorito para a temporada que se anuncia. O carro de 2011 sofreu leves atualizações em relação ao de 2010, quase todas encontradas no conjunto traseiro do monoposto, que agora ostenta uma asa móvel e remodelada, além de uma pequena barbatana quadrada após a entrada de ar superior. A pintura do RBR7 é idêntica ao do modelo passado, com alterações muito sutis. Será que não se mexe no time que está ganhando? Na realidade não, pois a equipe conservou todo o seu pessoal, principalmente o projetista Adrian Newey, um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento aerodinâmico dos modelos Red Bull, o qual importa nas tendências copiadas indiscretamente pelos rivais. Junto a Vettel, novamente estará o australiano Mark Webber, um experiente piloto que disputou o título mundial de 2010 até a última prova da temporada, ficando em 3º na colocação geral.

—————————

LOTUS RENAUT (carro: R31) – Motor Renaut

No meio de uma grande disputa judicial para a utilização do nome “Lotus”, a Renaut apresenta seu novo modelo, rebatizando a equipe como Renaut Lotus, escuderia que fez indescritível sucesso nas décadas de 70 e 80, e por onde já passaram pilotos da mais alta estirpe como Emerson Fittipaldi e Ayrton Senna. Já no início de fevereiro, a Renaut Lotus sofreu a primeira derrota em 2011, quando o seu principal piloto, o polonês Robert Kubica se acidentou gravemente quando disputava uma prova de Rally na Itália, certamente ficando fora da disputa na F-1 para todo o ano. Aos olhos, a equipe traz um carro moderadamente agressivo, mas com um projeto inovador, apresentando três entradas de ar superiores, uma asa traseira completamente remodelada, atualizações no escapamento e na suspensão. A frente do modelo progrediu, mas o contexto tendencioso de bico alto e largo fora mantido. A grande diferença estática trazida pela equipe está na pintura retro preta e dourada, em clara homenagem ao carro que deu a primeira vitória a Senna e o primeiro título mundial a Fittipaldi. Uma curiosidade: o brasileiro Bruno Senna, sobrinho de Ayrton, é o piloto reserva do time, o primeiro a suceder os titulares Nick Heidfeld (Alemanha) e Vitaly Petrov (Rússia) no caso da impossibilidade de um deles disputar determinada prova ou parte da temporada.

—————————

McLAREN (carro: MP4-26) – Motor Mercedes-Benz

A McLaren foi uma das últimas equipes a apresentar o seu modelo para 2011 e impressionou com o design mais agressivo do grid até então. Mesmo tendo mantido sua pintura praticamente inalterada, as linhas do monoposto atual são as que mais diferem dos carros da temporada passada (e dessa também), trazendo pretensiosas entradas de ar laterais em “L”, com um imenso sulco superior, o qual inicia após o cockpit (lugar onde fica o piloto) e finaliza próximo ao escapamento (que também fora remodelado). Acompanhando o desenho da Renaut Lotus, as McLaren terão uma entrada de ar superior complexa, dividida em três partes, talvez buscando ampliar o desempenho da nova asa traseira móvel. Completando as mudanças aerodinâmicas, o bico dianteiro continua alto e largo, mas agora comporta um apêndice, como se fosse um segundo bico menor, logo abaixo do primeiro. Entretanto, ao revés do que todos pensavam, o MP4-26 não foi bem nos testes pré-temporada, ficando muito aquém das rivais diretas da equipe. A dupla de pilotos ingleses Lewis Hamilton e Jenson Button, não fizeram questão em esconder a frustração com a evolução (???) da equipe para o atual campeonato, criticando abertamente o novel modelo.

 

—————————

SAUBER (carro: C30) – Motor Ferrari

Junto à Ferrari, a Sauber fora a equipe que apresentou o modelo atual com a carenagem mais “limpa”, sem apêndices aerodinâmicos aparentes além das duas aletas laterais, externas àquelas entradas de ar. Talvez tenha sido pela similaridade à nova Ferrari, e pela impulsão do motor daquela escuderia italiana, que a Sauber tenha apresentado ótimos resultados nos testes pré-temporada, sempre colocando seus carros entre os primeiros lugares nas tomadas de tempo. Mesmo a pintura tendo sido mantida do modelo anterior, é possível visualizar facilmente que a equipe conta com mais ajuda financeira para este ano, dados os patrocínios inexistentes em 2010. Os postos titulares de pilotos serão ocupados pelos jovens e talentosos Kamui Kobayashi (do Japão) e Sergio Perez (do México), que certamente darão o que falar.

 

—————————

FORCE INDIA (carro: VJM04) – Motor Mercedes-Benz

A não ser que os testes ocorridos em fevereiro e março do corrente ano estejam errados, a Force India e a McLaren foram as equipes que menos evoluíram em termos de performance em relação à temporada passada (na realidade regrediram, posto terem conseguido tempos inferiores com o carro novo em comparação ao carro utilizado em 2010). Sempre ganhando pontos nas corridas disputadas, a Force India encabeçou em 2010 o pelotão intermediário, mas começa 2011 como a “lanterninha” daquele grupo de equipes. O interessante é que a única mudança visual do monoposto frente ao carro passado está nas entradas de ar centrais, muito semelhantes ao modelo inaugurado pela Mercedes-Benz em 2010, numa clara intenção de maximizar a força aerodinâmica exercida no conjunto traseiro, sobretudo na asa móvel (tal ação é o downforce, que é a pressão do carro sobre o solo). Infelizmente, o talentoso alemão Adrian Sutil e o novato inglês Paul di Resta (campeão da GP2 em 2010) não demonstraram força ao guiar o novo carro nos testes de inverno, modelo que parece sustentar o mesmíssimo bico de 2010 e um conjunto traseiro pouco modificado.

—————————

TEAM LOTUS (carro: T128) – Motor Renaut

O Team Lotus briga na justiça automobilística com a Renaut pelos direitos no uso do saudoso nome “Lotus”. Na realidade, o que esta equipe possui é uma singela concessão para a utilização da marca, mas não guarda hereditariedade com a equipe que fez sucesso no passado, sucessão essa que já é legítima na Renaut. O Team Lotus surge em 2011 com a clara intenção de andar entre o pelotão intermediário, mesmo sendo somente o seu segundo ano de existência na categoria. Para tanto, redesenhou seus carros que agora apresentam duas entradas de ar frontais, iniciadas logo após o capacete do piloto, no mesmo estilo apresentado pela Mercedes-Benz em 2010. No mais, o desenho geral do carro parece ter sido mais trabalhado que o modelo passado, ganhando uma aparência semelhante aos modelos de ponta, especialmente no bico, escapamento e conjunto traseiro. A pintura segue sem maiores alterações, tal qual a dupla de pilotos da equipe, composta pelo finlandês Heikki Kovalainen e o italiano Jarno Trulli. O Team Lotus também é a equipe do brasileiro Luiz Razia, que ocupa o posto de primeiro piloto reserva.

—————————

Pois bem amigos, finalmente a temporada deste ano de 2011 iniciará no próximo domingo, dia 27/03/2011, no GP de Melbourne – Austrália! A corrida será disputada no circuito de Albert Park, às 03h00min da manhã. Até lá!

Deixe um comentário, ou trackback para o seu site.

Comenta aí, traça!

Powered by WordPress | Free T-Mobile phones at BestInCellPhones.com. | Thanks to Verizon Wireless, Facebook Games and The diet solution